Grâce à la liberté dans les communications, des groupes d’hommes de même nature pourront se réunir et fonder des communautés. Les nations seront dépassées.
Friedrich Nietzsche (Fragments posthumes XIII-883)

07 - OCT 27/29 - Comunicação/Up Yours Senor


Para os McCann Maddie é "caso de comunicação"


A entrevista que os pais de Madeleine McCann deram, na terça-feira, à estação de televisão espanhola Antena 3 e a divulgação de um retrato--robô do homem que alegadamente terá raptado a menina britânica, desenhado por especialistas forenses do FBI contratados pelo casal, não é mais do que o "relançamento, em força, da mega-campanha que Kate e Gerry têm feito na comunicação social", desde que a sua filha desapareceu, a 3 de Maio, na Praia da Luz.
Quem o afirma é o presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC), Carlos Anjos. Na sua opinião, "o caso Maddie, que para a PJ é uma investigação criminal, para os McCann é um caso de comunicação social, a julgar pela campanha que têm desenvolvido nos media, a maior feita até hoje". Já para o governo britânico, o desaparecimento da criança é um "caso político", tendo em conta o seu "envolvimento, desde a primeira hora, no processo e no apoio ao casal".
Carlos Anjos afirmou ainda ao DN que o retrato-robô do alegado suspeito de rapto de Madeleine divulgado pelos McCann , que segundo o porta-voz do casal, Clarence Mitchell, terá tido a "aprovação tácita da polícia portuguesa", "é um mero boneco que qualquer pessoa faria. Não é nenhum retrato-robô nem teve a aprovação de ninguém, e isto simplesmente porque não existe".
Esforço da mãe para se comover

Kate fez um esforço para se comover". Esta é a apreciação da psicóloga Raquel Peters à entrevista dos pais de Maddie à televisão, que afirma que a mãe de Maddie "está muito controlada, rígida e distante emocionalmente em relação ao que se está a passar, o que denota, do ponto de vista psicológico e de linguagem corporal, comprometimento e alguma culpabilidade no desaparecimento da filha, pelo menos de acordo com as imagens que nos são fornecidas".
Para a especialista, que tem seguido atentamente o caso Maddie, o comportamento de Gerry McCann não foge muito do da mulher. "O casal revelou na entrevista uma grande lucidez cognitiva e um discurso demasiado fluente e lógico, o que numa situação deste tipo é perfeitamente invulgar", observou a psicóloga ao DN, frisando que Kate e Gerry "não demonstram desespero nem desconsolo". É, por isso, diz, "muito estranha", a forma como o casal está a reagir emocionalmente ao desaparecimento de Maddie. "A cumplicidade que revelam e o distanciamento com que falam da tragédia revela culpa", sustenta Raquel Peters.
A psicóloga diz ter notado "grande frieza e alguma fragilidade em Kate", quando questionada sobre a última recordação de Maddie. "Não disse nada de específicosobre a filha, nem quanto ao dia em que ela desapareceu, o que me parece ser uma tentativa de fugir à questão", disse Raquel Peters, considerando que, da mesma forma, o casal "não respondeu objectivamente, tendo torneado uma vez mais a questão" quando confrontado com um possível arrependimento por ter deixado os filhos sozinhos no apartamento. "Gerry fez um grande esforço para se controlar relativamente às críticas que são tecidas à mulher", adiantou.

 
Tony P arsons (The Mirror) – 29.10.2007

Portugal's ambassador to Britain, Senor Antonio Santana Carlos, says that the Madeleine McCann case has seriously damaged relations between the two countries. Well, whose fault is that?
It is the fault of the spectacularly stupid, cruel Portuguese police. I have never much cared for the convention of calling cops "pigs" or "filth", but I am happy to make an exception.
They have tried to cover their humiliation at coming nowhere close to finding that stolen child by fitting up her parents.
The decline in relations is also the fault of the appalling Portuguese media, happy to print any piece of poisonous trash spoon-fed to them by "police sources" treating the abduction of a small child as light entertainment.
And the Portuguese public must also take their share of the blame. The sight of locals jeering at Kate McCann as she went in for questioning made me feel as though these leering bumpkins were not from another country, but another planet.
And the good ambassador can also be blamed for the decline in relations.
When he should be exercising a little diplomacy, he huffs and he puffs about the McCanns' tragic decision to leave their children sleeping alone on the night Madeleine was stolen.
"In Portugal we have the concept of a nuclear family," sniffs Senor Carlos. "That the families all live together."
They made a mistake, ambassador. Their lives have been wrecked. That is punishment enough, without your asinine, unwanted comments.
And I would respectfully suggest that in future, if you can't say something constructive about the disappearance of little Madeleine, then you just keep your stupid, sardine-munching mouth shut.